Vacinas Pneumocócicas


As vacinas pneumocócicas são indicadas para a prevenção das infecções causadas pelo pneumococo (ex.: pneumonia e meningite). Elas são produzidas a partir de bactérias mortas e diferem quanto ao modo de produção. Há basicamente 2 tipos de vacinas pneumocócicas:

Vacinas conjugadas – são as vacinas que fazem parte do calendário de vacinação das crianças e são administradas aos 2, 4 e 6 meses com um reforço entre 12 e 15 meses de idade. Existem dois tipos de vacina pneumocócica conjugada:
- Vacina chamada "10 valente" (utilizada na rede pública de saúde) que possui em sua composição 10 tipos de pneumococos;
- vacina "13 valente" (utilizada na rede privada) que possui em sua composição 13 tipos de pneumococos. Esta foi liberada para uso em crianças a partir de 6 semanas de idade até a idade adulta, desde que haja indicação devida a alguma doença de base.
- As vacinas conjugadas têm como característica produzir uma proteção de longa duração.

Vacina polissacarídica – esta vacina pode ser administrada em pessoas com mais de 2 anos de idade e possui em sua composição 23 tipos de pneumococos, porém não confere proteção de longa duração. Seu efeito protetor dura de 3 a 5 anos, necessitando assim de doses de reforço.

Observação: Para os idosos (grupo de alto risco para a infecção pneumocócica) recomenda-se uma dose da vacina pneumocócica 13 valente conjugada e, 6 a 12 meses depois, uma dose da vacina 23 valente polissacarídica, com eventual dose de reforço após 5 anos. Após os 65 anos, recomenda-se uma dose da vacina do pneumococo 23 valente, sempre com intervalo mínimo de 5 anos, caso tenha recebido a mesma vacina anteriormente.

Importante: caso  a pessoa idosa já tenha recebido a vacina polissacarídica 23 valente, é recomendável que se espere por um intervalo de 12 meses até receber a vacina 13 valente conjugada.
 

Pneumocócica


A doença pneumocócica é causada por uma bactéria (pneumococo) e esta é a maior causadora de infecção no ouvido (otite) e de outras doenças, tanto em crianças, como em adultos. Frequentemente, também causam sinusite, pneumonia, meningite e conjuntivite.

Em crianças pequenas e nas que estão na fase de amamentação, os pneumococos são as causas mais comuns de meningite bacteriana. Pode também causar infecções no coração, nos ossos e nas articulações. A doença pode levar desde 1 a 3 dias após o contágio para manifestar os primeiros sintomas.

Transmissor – O ser humano (doente ou portador sem sintomas).

Forma de transmissão – A transmissão é de pessoa para pessoa através de gotículas respiratórias. Infecções virais podem favorecer a infecção pelo Pneumococo, como, por exemplo, a Gripe (Influenza).

Período de transmissão  É transmissível enquanto houver microrganismo no nariz e na garganta do doente. Após 24 a 48 horas do início do tratamento com antibiótico, o doente deixa de transmitir a doença. Existem portadores que não manifestam a doença e podem permanecer transmitindo o Pneumococo por longo período.

Complicações – Dependem do tipo de infecção causada pelo pneumococo. Algumas, se não tratadas correta e precocemente, podem levar à morte.