Vacina contra a Poliomielite

A vacina indicada para a prevenção da Poliomielite (paralisia infantil) é aplicada de duas formas diferentes: por via oral e injetável. Ambas são indicadas para administração aos 2, 4 e 6 meses de vida, com reforços dos 15 aos 18 meses e entre 4 a 6 anos de idade. Todas as doses devem ser administradas corretamente para se obter a proteção desejada.

Por via Oral (Sabin): é produzida com vírus vivos e enfraquecidos. Usada apenas pela rede pública, a partir da 3ª dose recomendada.(esta vacina não se encontra disponível em clínicas privadas de vacina e o programa público de vacinação tem substituído a vacina Sabin pela vacina Salk)

Injetável (Salk): é produzida com vírus mortos. Usada na rede privada e na rede pública - nesta última, apenas para as 2 primeiras doses. Esta vacina faz parte da vacina hexavalente e pentavalente e não é disponibilizada em doses individuais.

Campanhas de vacinação contra a Poliomielite são promovidas pelo Ministério da Saúde anualmente e recomendadas a crianças até cinco anos de idade.

Poliomielite

A Paralisia infantil (poliomielite ou "pólio") é uma doença altamente contagiosa transmitida por um vírus e caracteriza-se pela paralisia repentina dos músculos. Leva de 2 a 30 dias para surgirem os sintomas. Há 3 tipos diferentes de "pólio":

  • Infecções assintomáticas: Ocorre entre 90% a 95% dos casos. Não há sintomas específicos e sua cura é rápida.

  • Poliomielite abortiva (não completa): Ocorre em cerca de 5% dos casos e os sintomas são inespecíficos, tais como febre, dor de cabeça, tosse e coriza. Em alguns casos, pode haver a manifestação de sintomas de meningite causada pelo vírus. Nesta forma, não há paralisia dos músculos.

  • Poliomielite Paralítica: Ocorre em apenas 1% a 1,6% dos casos. Única que possui características típicas, ou seja, a paralisia dos músculos. A evolução é rápida e em até 3 dias os músculos dos membros inferiores, na maioria das vezes, subitamente se tornam flácidos. Geralmente, essa flacidez ocorre de um único lado do corpo; a sensibilidade profunda na região fica preservada, mas acabam os reflexos; falta de coordenação motora e febre são outros sintomas que podem se manifestar. Caso os músculos respiratórios e mastigatórios fiquem paralisados, haverá risco de morte do paciente. As sequelas paralíticas desta forma de doença são muito frequentes. Esta doença encontra-se erradicada no Brasil desde o início dos anos 90.

Transmissor - O ser humano.

Forma de transmissão -Através de gotículas de secreção do doente ao falar, tossir, espirrar e também por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou de portadores.

Período de transmissão – Das primeiras horas após a infecção a até 1 semana o vírus pode ser encontrado nas secreções do nariz e da garganta. Através das fezes, a transmissão pode variar de 3 a 6 semanas após o contágio.

Complicações - Sequelas paralíticas; parada respiratória devido à paralisia muscular.

Lembre-se: não se automedique. Sempre procure seu médico. Ele poderá indicar o melhor tratamento para que você recupere sua saúde.