Vacina contra a herpes-zoster


É indicada para a prevenção da herpes-zoster e suas complicações, em pessoas com mais de 50 anos de idade.

A vacina é produzida com vírus causadores da varicela, que são atenuados (enfraquecidos) para que não haja o risco de causarem a doença.

É administrada em dose única em pessoas com 50 anos ou mais, que é o grupo de maior risco para a doença.

Por ser vacina de vírus vivo atenuado, ela não pode ser feita em gestantes nem em pessoas com doenças que afetem o sistema imunológico, tais como pessoas portadoras ou em tratamentos para cânceres, doenças autoimunes, transplantados, portadores do HIV.

Herpes-zoster

A herpes-zoster, também conhecida como cobreiro, é uma doença causada pelo mesmo vírus da varicela (vírus varicela-zoster). É mais frequente em adultos e idosos, bem como em pessoas com baixa resistência (imunidade baixa).
A doença manifesta-se pelo aparecimento de bolhas na pele, principalmente no tronco e no pescoço, acompanhando os trajetos dos nervos, com duração de aproximadamente 15 dias. Na maioria das vezes, é acompanhada por uma forte dor no local das lesões, que pode perdurar por muito tempo (meses ou anos) após o desaparecimento dessas lesões (neuralgia pós-herpética). Febre, dor de cabeça e mal-estar geral também podem acompanhar o quadro da doença.

Forma de transmissão - Geralmente, a herpes-zoster é decorrente da reativação dos vírus que ficaram “dormentes” no corpo desde quando a pessoa teve catapora (varicela), e que podem acordar para causar a doença quando a essa pessoa está com um baixo nível de proteção (baixa imunidade). É muito raro uma pessoa ter herpes-zoster após o contato com alguém que esteja com catapora.

Complicações - As principais complicações são as infecções secundárias no local das lesões bolhosas e a dor muito intensa no local das lesões que, como já dito, pode durar muito tempo. Se a herpes-zoster atingir a região dos olhos, a visão do indivíduo pode ser afetada permanentemente.